Ler, imaginar, sonhar...

Como a leitura deve ser tratada para que seu filho aprenda a gostar de ler

Por Hellen M. Vizotto 27/10/2017 - 10:05 hs

A leitura pode ser um tema tenso para pais, professores e alunos. Na corrida para fazer com que elas leiam bem, pode ser fácil cair no equívoco de tratar a leitura como um procedimento, ao invés da experiência complexa que é. 

Saber juntar sílabas não é saber ler. A leitura é um universo desconhecido, que é descoberto somente por quem está lendo e interagindo com o conteúdo. A leitura é tão interessante, que muitos leem o mesmo conteúdo e visualizam algo diferente um do outro.

Talvez por encarar a leitura como algo soletrável é que muitos se frustram na aprendizagem da leitura. Ler é imaginar e sonhar. É recriar algo que já estava na mente do escritor.

Para isso, é necessário entender que crianças que apresentam dificuldades de leitura têm uma noção equivocada de que nunca serão boas leitoras. 

No Ensino Fundamental ou Médio, ao tomarem consciência de que não estão lendo no mesmo nível da classe, muitas passam a evitar a prática. Desmotivando-se a continuarem. Outra questão importante é relacionada com o que dar para as crianças leêm. Se é colocado um conteúdo que a criança não se interessa e exige-se dela uma colocação de algo que não a cativou, ela também dirá em breve que não gosta de ler.

O professor pode ajudar os alunos a se tornarem melhores leitores. 

Os alunos não gostam de ler por muitas razões e diferentes estratégias funcionarão com crianças diferentes. Um aluno que articula o que ele tentou, o que não entendeu e no que ele precisa de ajuda está, por exemplo, sinalizando que está disposto a avançar. Isso é muito diferente de um aluno que evita ler completamente. Este quadro mais individualizado da criança não virá de testes padrões. 

Ser positivo no início de um relacionamento com um aluno também é essencial. Quando essa dinâmica da sala de aula muda, os alunos começam a fazer coisas por si mesmos e não porque a professora pediu que fizessem 

E, finalizando, segue a informação de que em 25/04/2017, o  Senado aprovou o projeto de criação da Política Nacional de Leitura e Escrita. O PLS 212/2016 foi aprovado em decisão terminativa pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte e segue agora para a Câmara dos Deputados. O objetivo é adotar uma estratégia permanente para promover o livro, a leitura, a escrita, a literatura e as bibliotecas de acesso público no Brasil. Vamos aguardar frutos desse projeto. 

 

Hellen Cristina Motta Vizotto | Pedagoga

Graduada em Letras e especialista em Psicopedagogia Clínica e Educacional.

Whatsapp: 16.997885827