Polícia reconstitui assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes nesta quinta

A polícia já conseguiu descartar diversas linhas de investigação e cruzar informações técnicas reveladoras.

Por Redação 10/05/2018 - 07:53 hs

A Polícia Civil do Rio de Janeiro faz nesta quinta (9) a reprodução simulada do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. 

 O trabalho será conduzido pela Delegacia de Homicídios, que está a cargo da investigação, e será realizado na rua Joaquim Palhares, no bairro do Estácio, onde o veículo em que Marielle e Anderson estavam foi interceptado e alvejado por tiros, no dia 14 de março. 

Quando a reconstituição foi anunciada, o secretário estadual de Segurança Pública, Richard Nunes, afirmou que a simulação precisa reproduzir com fidelidade as condições do dia do crime, além de exigir um panejamento detalhado já que a rua fica na região central da cidade  e tiros reais serão disparados. Por essa razão, o trabalho deve ser feito por volta das 21h30 mesmo horário em que Marielle e Anderson foram alvejados. 

A investigação sobre o assassinato envolve oito equipes da delegacia de homicidios, além de cinco promotres do ministério público e segue sob sigilo. Nesta semana, após uma reunião na divisão de homicidios, o deputado federal Jean Wyllys afirmou que o cerco está se fechando ao redor dos assassinos, porque a polícia já conseguiu descartar diversas linhas de investigação e cruzar informações técnicas reveladoras. 

Além disso, em uma reportagem exclusiva, o Jornal O Globo divulgou o depoimento de uma testemunha que alega ter participado de uma reunião entre o vereador Marcello Siciliano e o ex-policial militar Orlando de Araújo  preso por participar de um grupo de milicia.  O vereador negou qualquer participação no crime e disse que o testemunho se trata de um factóide.