Análise: Palmeiras não pode achar que vai decidir o jogo a qualquer momento

Análise: Palmeiras não pode achar que vai decidir o jogo a qualquer momento

Verdão faz partida abaixo da média, mas avança na Copa do Brasil com empate em casa

Por Redação 24/05/2018 - 09:05 hs

primeiro chute a gol do Palmeiras na última quarta-feira, contra o América-MG, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, saiu apenas aos 27 minutos, do pé direito de Bruno Henrique. Esse detalhe é fundamental para explicar a atuação no empate por 1 a 1 que classificou o time às quartas de final. O Verdão esteve longe das boas atuações contra Junior Barranquilla (segundo tempo) e Bahia.

Muito embora tenha jogado com força máxima, o Palmeiras parecia estar um tom abaixo do que o de costume. Culpa da vitória por 2 a 1 no primeiro jogo, em Belo Horizonte? Pode ser que sim.

Só que a vantagem era pequena para jogar em ritmo de treino. Um gol do adversário mudaria o panorama do jogo. E foi o que aconteceu. O time mineiro abriu o placar aos 37 minutos, em lance que os jogadores do Palmeiras reclamaram impedimento que não existiu. 

A vitória parcial do América-MG levaria a decisão da vaga para os pênaltis. E até por isso, o Verdão foi vaiado pela torcida no intervalo. Atitude compreensível pelo que o Palmeiras apresentou no primeiro tempo. Mas as coisas melhoraram na etapa final. Não muito, mas melhoraram.

Sem Deyverson, que teve uma atuação ruim no lugar de Dudu, fora do jogo por estar convocado na lista de suplentes para a Copa do Mundo, o Verdão fez um segundo tempo mais seguro. Acelerou no ataque e empatou com gol de cabeça de Willian, aos 18 minutos. Pronto, a classificação estava novamente encaminhada. Só que a reação parou por aí...

Com o América-MG sem conseguir levar muito perigo ao gol de Jailson, o Verdão se acomodou com o empate que garantia a classificação. Chegou a perder chances importantes, com Keno, Hyoran e Felipe Melo, por exemplo. Mas ficou a sensação de que se o time apertasse um poucos mais teria deixado a Arena com uma vitória que poderia recuperar os aplausos da torcida.

– Foi um jogo de exceção, fora da curva. Tenho certeza que no sábado a gente volta ao nosso nível – declarou o técnico Roger Machado, depois da partida, já projetando o duelo contra o Sport, às 19h de sábado, novamente em casa, só que pelo Campeonato Brasileiro.

Nesta quarta-feira, a superioridade técnica do Palmeiras em relação ao time mineiro permitiu que mesmo em um jogo fraco tecnicamente o time avançasse de fase. Mas o elenco tem de ficar ligado que não pode achar que fará gols quando quiser. Nem sempre vai dar certo.

Se jogar perto dos 100% de ritmo a maioria dos jogos, o Palmeiras tem futebol e elenco para chegar muito longe em todas as competições que disputa. É um exercício a ser feito.